Compra de energia elétrica no Mercado Livre pode reduzir até 30% do custo às grandes empresas

Energia – aquisição e compra no Mercado Livre. Este foi o tema da palestra realizada pela Câmara de Indústria, Comércio e Agronegócios de Farroupilha nesta quinta-feira, 1º de agosto. O palestrante foi o consultor de Energia da Defar Engenharia, Anderson Sisti. Ele destacou que o Brasil atualmente se encontra em uma condição melhor do que no passado em termos de perspectivas na produção e distribuição de energia.

No entanto, entende que o Mercado Livre no setor de energia é uma boa saída para o grande empresário, na medida em que ele pode conseguir uma redução de até 30% no custo. Já para a população em geral, assim como para o pequeno negócio, Anderson entende que a utilização da energia solar é a saída para o futuro.

No seu entender a Região Sul, mais especificamente o Rio Grande do Sul, está bem servida pelas Hidrelétricas, nas bacias do Uruguai, Pelotas e Antas, além da conexão que existe com o Uruguai, a qual é possível importar energia com o país vizinho. Por outro lado, ressalta que no caso do Brasil, com um eventual crescimento industrial forte, o custo pode ficar elevado. Ele não acredita na falta do produto, mas na elevação do preço do fornecimento de energia, caso o país venha a crescer uma média de 3% do Produto Interno Bruto (PIB).

Das cinco maiores fontes de energia elétrica no Brasil, a Hidrelétrica corresponde a mais de 64% da matriz energética nacional e estima-se que apenas cerca de 35% do potencial hidroelétrico esteja sendo explorado atualmente. As Usinas Termelétricas que operam através do aquecimento de água com combustíveis fósseis como carvão, gás natural ou derivados de petróleo, são responsáveis por cerca de 27% da energia gerada no país. Existe um grande incentivo para investimentos em geração de Energia Eólica – assim como em outros sistemas de geração de energia limpa – que vem crescendo bastante. Hoje já representa cerca de 7% da energia brasileira. A Energia Nuclear hoje corresponde a cerca de 1% da matriz energética nacional. A quinta maior fonte de energia no Brasil é Solar, participando com cerca de 0,1% do abastecimento.

Foto: José Theodoro