Comunidade São José aceita contrapartida e terá asfalto em 2020

O salão da comunidade São José, na Linha Palmeiro, sediou na última sexta-feira, dia 09, a primeira reunião sobre o projeto de asfaltamento da estrada Luiz Victório Galafassi, mais conhecida como Estrada dos Romeiros. Com o intuito de realizar a obra em parceria, a Prefeitura Municipal de Farroupilha elaborou uma proposta em que a comunidade pagará 50% do valor da brita graduada. No encontro, foram apresentadas as informações sobre o projeto e a obra e os moradores aceitaram a contrapartida. Serão asfaltados cerca de 4 quilômetros, passando pelas localidades de São José e Capela de Todos os Santos. A estrada terá 7 metros de largura e um total de 26.804,40 m².

As primeiras conversas em torno do assunto ocorreram no início de janeiro deste ano. No dia 06 de junho, a Administração Municipal obteve o Selo Prodetur + Turismo em Brasília, que permite obter financiamentos para o desenvolvimento de áreas com potencial turístico. Esse crédito oferece a condição de 20 anos para pagar. Já no mês seguinte, os membros da comunidade receberam o convite para participarem da reunião realizada na sexta-feira, em que foi dado o primeiro passo junto com os moradores. No dia 30 de agosto, no salão da comunidade São José, será promovida mais uma reunião. Na ocasião, será criada uma associação e serão definidas as próximas ações.

De acordo com o vereador Fabiano Piccoli (PT), ainda nesta semana, o município vai encaminhar um Projeto de Lei (PL) para a Câmara de Vereadores para autorizar a contratação do financiamento de aproximadamente R$ 3 milhões. “Acreditamos que até a metade do ano [2020], talvez um pouco mais, nós teremos essa obra pronta e entregue à comunidade”, comenta o vereador. Ele também destaca que a obra é muito importante, pois dará mais qualidade de vida aos moradores e beneficiará os turistas e romeiros que por ali transitarem. Além disso, os agricultores terão mais facilidade para escoar a safra e irá colabora com o polo industrial, localizado nesta comunidade.

Um dos membros da comunidade que está coordenando o asfaltamento, Paulo Gajardo, explica que serão necessários 10 mil m³ brita graduada, sendo que a comunidade pagará metade. Ainda não há o valor definido, mas Gajardo acredita que R$ 250 mil serão suficientes.

Foram estabelecidos alguns critérios para chegar ao valor a ser pago por cada família: se o terreno está localizado próximo a estrada ou mais afastado, qual é a extensão de terra que faz divisa com a rua, entre outros. Os valores, que ainda não são oficiais, estão na faixa entre R$ 500 e R$ 5.800 por família. “Nós estamos contando com a participação de todos os moradores, pois no momento em que um disser que não vai contribuir com nada, vai sobrecarregar um pouco os outros. […] A gente não quer que fique bom para alguns, a gente quer que fique bom para todos”, comenta Gajardo.

 

Ouça as entrevistas feitas após a reunião em São José com o vereador Fabiano Piccoli e com um dos membros da comunidade que está coordenando o asfaltamento, Paulo Gajardo: 

 

Foto: Gleici Trois