Daer condiciona sucesso dos trabalhos de perfuração para liberação da ERS-122 entre Farroupilha e São Vendelino

A liberação do trecho da ERS-122, entre São Vendelino e Farroupilha ainda não tem data. Conforme o diretor de Infraestrutura do Departamento Autônomo de Estradas e Rodagem (Daer) Luciano Faustino, a liberação do tráfego de veículos vai depender do andamento das obras até o final de semana. No final da tarde desta segunda-feira, 25, acompanhado do diretor de Operações Rodoviário do órgão, Sandro Vagner Vaz dos Santos e do Supervisor de Obras da Encopav (empresa que executa as obras) Roberto Antônio Bortolasse Filho, apresentaram à imprensa um balanço do que foi feito até agora e a mudança de estratégias para a sequência dos trabalhos. A execução será em etapas: perfuração, detonação das rochas e limpeza da pista, sendo que a principal alteração será em relação a detonação, que será feita em uma única vez, ao contrário do que estava previsto anteriormente.

Luciano Faustino não prevê data para a liberação, mas condiciona estritamente ao sucesso dos trabalhos daqui para frente. Ele ressalta que assim como o Daer, a empresa está fazendo todo o esforço dentro da boa técnica da engenharia para garantir a segurança da equipe. “Sabemos da importância da ERS-122 para a Serra e para o estado, mas o Daer em nenhum momento se colocou contra, pelo contrário, o que foi avaliado foi a questão da segurança, porque para liberar o trânsito nesse percurso, temos que ter plena segurança para que não possa ocorrer nenhuma queda de material e o que está sendo feita é uma obra de engenharia com a vida das pessoas protegidas”, justificou.

Sandro Vagner Vaz dos Santos, explicou que após o incidente, no dia 4 de novembro, na medida em que foi sendo feita a limpeza da pista, várias rochas começaram a descer e isso surpreendeu os técnicos, já que desde o ano 2000, não acontecia um evento desta magnitude. O trabalho posterior foi solicitar a vinda de especialistas do Daer para avaliar a situação. Com isso foi constatado que o rochedo apresenta grandes fissuras e consequentemente qualquer remoção, acaba ocorrendo o desprendimento de outras rochas.

Isso obrigou a transferência dos trabalhos para a parte superior do talude e o deslocamento do maquinário, para fazer as perfurações e as detonações, porém, salienta Sandro, existia a previsão de que o rochedo tivesse uma cobertura de solo em torno de 30 centímetros, o que acabou surpreendendo mais uma vez os técnicos. São em torno de seis metros de solo e mata e por isso é necessário remover esse material até a rocha para depois iniciar as perfurações. Segundo ele, esse tipo de trabalho acaba atrasando ainda mais a liberação do trecho para os veículos. Soma-se ainda os dias de chuva, que impedem a sequência dos trabalhos devido ao alto risco aos funcionários na manipulação do maquinário.

O planejamento é remover as rochas que estão sobre a rodovia e projetadas para dentro da pista. Posterior a isso e com a limpeza da pista o tráfego será liberado. As perfurações estão sendo feitas em uma profundidade de seis metros, em uma distância de 50 centímetros entre uma e outra. A detonação vai ocorrer em uma única vez, para isso algumas residências próximas serão evacuadas e o trecho interditado a uma distância de pelo menos 1 km, tanto na descida como na subida da rodovia. Após a liberação, o Daer vai realizar um estudo definitivo para o local com a colocação de material de contenção, que inclusive vai precisar de recursos. Para essa obra que está sendo realizada, o Daer vai gastar em torno de R$ 2.000.000,00, embora a previsão inicial era de R$ 1.000.000,00.

Os técnicos chamam atenção para que a população não utilize esse trecho para locomoção com veículos. Há informações de que alguns motoristas estão furando a barreira e utilizando a rodovia, mesmo que em cada ponto existam placas de sinalização e bloqueios com cones. Segundo informações dos próprios funcionários, alguns, inclusive, jogaram os cones no mato. Isso vem acontecendo principalmente à noite.

Confira as fotos das obras na ERS-122:

Fotos: José Theodoro