Empresário Raul Randon é velado em Caxias do Sul

Morreu  na noite de sábado, 03, em São Paulo,  o empresário caxiense Raul Anselmo Randon, 88 anos. Ele estava internado no hospital Albert Einstein há três meses e morreu devido à complicações em decorrência de uma cirurgia para implantar um pino entre o quadril e o fêmur. O empresário, natural do município de Tangará (SC), construiu sua vida em Caxias do Sul.

Raul Randon era um dos maiores empresários brasileiros. Ele nasceu no dia 6 de agosto de 1929, em Tangar (SC). Os pais, Elisabetha e Abramo Randon, descendentes de italianos, eram de Caxias do Sul, mas tinham ido ao estado vizinho em busca de oportunidades de trabalho. Quando tinha dez anos de idade, Raul voltou com a família para Caxias. Aos 14 ele começou a trabalhar na ferraria que pertencia ao pai dele, o que fez tomar o gosto pelo trabalho e a partir daí construiu um império industrial que ajudou a consolidar Caxias do Sul como o segundo maior polo metalmecânico do país.

Após o serviço militar, em 1949, junto com o irmão Hercílio e um amigo, abriu uma pequena fábrica de máquinas tipográficas. Essa empresa, no entanto, foi destruída em um incêndio em 1951. Os irmãos Randon tiveram que recomeçar, e decidiram abrir uma oficina mecânica, aproveitando a engenhosidade de Hercílio para trabalhar na área. A empresa cresceu a partir do momento em que começou a fabricar freios a ar comprimido para caminhões, um segmento carente de produtos no País. Era o surgimento da Mecânica Randon Ltda, que cresceu no embalo da expansão da indústria automobilística brasileira nas décadas de 1950 e 60.

Na década de 1970, na carona do chamado “milagre brasileiro”, Raul fez a primeira viagem ao exterior. Durante 40 dias, visitou as feiras de Hannover e Milão. Na volta, surpreendeu a todos ao propor um plano de expansão da empresa. De forma inovadora, decidiu abrir o capital, algo pouco comum à época, para financiar uma expansão audaciosa. De mil unidades de implementos rodoviários por ano, a capacidade pularia para mil unidades mensais. Os primeiros 40 mil metros da nova fábrica foram inaugurados em 1974.

Em 1973 ainda foi firmado um contrato de transferência de tecnologia com a sueca Kockum AB, para fazer caminhões fora-de-estrada para construção pesada e mineração. Desde a década de 70, buscou parceiros para crescer, utilizando-se joint ventures e aquisições, que acabaram formando o conglomerado hoje denominado Empresas Randon, que engloba Randon Implementos, Randon Veículos, Suspensys, Master, Castertech, Jost, Fras-le, Consórcio Randon e Banco Randon.

Raul Randon também atingiu notoriedade com o trabalho no setor primário, onde a RASIP, sediada em Vacaria, se tornou uma referência nacional na produção de frutas, queijos, vinhos e outros produtos agrícolas. Além da atividade empresarial, Raul Randon se destacou na atividade comunitária. Foi presidente da CIC de Caxias do Sul entre 1975 e 78, e fundou o Instituto Elisabetha Randon, que coordena o Projeto Florescer, um programa de educação e profissionalização de crianças e jovens.

Recebeu dezenas de homenagens e comendas no Brasil e no mundo.  Pelo trabalho realizado, recebeu diversos prêmios e honrarias. O mais importante deles foi concedido no ano passado. Raul Randon foi laureado Doutor Honoris Causa pela Universidade de Pádua, na Itália. O empresário deixa a esposa Nilva e os filhos David, Roseli, Alexandre, Maurien e Daniel.

As últimas homenagens  ao fundador e presidente do Conselho de Administração da Randon S.A. Implementos e Participações, Raul Anselmo Randon,  falecido no sábado (03/03), acontecem neste domingo, 04, das 16h às 22h, no Memorial São José, em Caxias do Sul. A cerimônia continuará nesta  segunda-feira , 05, a partir das 7h30min, na Igreja São Pelegrino, com missa às 10h, e posterior cremação, ato reservado somente aos familiares.

A empresa informou através de comunicado a dispensa   do trabalho neste domingo dos funcionários das empresas do bairro Interlagos do turno 3 , da  meia-noite às 7h12min e os de Forqueta do turno 3  das 0:23h às 6h.

Na segunda-feira , 05, não trabalham os turnos 1 das 7h12 às 17h e das 6h às 15h15min  do bairro Interlagos e os turnos  1 e 4 das  7h30min às 17h40min, do bairro Forqueta.

A atividade fabril volta ao normal com o turno 2, 17h na segunda-feira, no bairro Interlagos, e no turno 2, 15h15min, em Forqueta. As unidades localizadas fora de Caxias do Sul tem funcionamento normal.

Em nota oficial  o prefeito de Caxias do Sul, Daniel Guerra disse:  “Raul Randon foi sinônimo de empreendedorismo e deixou um legado para a história de Caxias do Sul. Foi um exemplo de perfil visionário, que aliado a muito trabalho, contribuiu para o progresso e o desenvolvimento da nossa cidade. Ele levou o nome de Caxias do Sul para o Brasil e para o mundo, com seus produtos e profissionais. Além do grande empresário, perdemos um ser humano humilde e preocupado com as pessoas”.

A prefeitura de Caxias do Sul  não decretará luto oficial pela morte do empresário, informou a assessoria de imprensa, que destacou ser esta situação aplicada apenas a mortes de ex-prefeitos.

Ainda no sábado o governador do Estado também  emitiu nota  lamentando a  morte do empresário. A nota diz que o  Rio Grande do Sul e o Brasil perdem uma grande liderança empreendedora, cuja simplicidade era sua principal característica, tanto que estava sempre presente no chão de fábrica.