Escola Estadual Olga Ramos Brentano realiza protesto pela falta de professores

Com a falta de sete professores em sua grade de profissionais, a Escola Estadual Olga Ramos Brentano, localizada no bairro 1° de Maio, em Farroupilha, promoveu uma manifestação na manhã desta terça-feira, dia 26. O ato teve o objetivo de mostrar para a sociedade, principalmente chamar a atenção das autoridades, quanto a falta de professores. Em caminhada, portando o banner com o nome da instituição e cartazes de protesto, professores e alunos seguiram por ruas do bairro, gritando os dizeres “Queremos professores!”.

O grupo seguiu em direção à Escola Estadual José Fanton. Lá eles permaneceram por um tempo, fortalecendo a manifestação. Motoristas e pessoas que passavam pelo local buzinavam e mostravam apoio ao ato.

A ideia da passeata partiu dos alunos, principalmente os que estão cursando o 3° ano do ensino médio, pois no final de 2019 estarão realizando o ENEM e os vestibulares. Eles se sentem inseguros e prejudicados diante da realidade, pois não terão a devida preparação. No caso do colégio Olga Ramos Brentano, faltam profissionais em áreas essenciais como artes, educação física, português, literatura, matemática, física, geografia, filosofia e sociologia.

Segundo a diretora da Escola Olga Ramos Brentano, Márcia Garcia, as horas faltantes serão recuperadas, mas os alunos provavelmente ficarão prejudicados. “Nós vamos recuperar a carga horária, mas aquela coisa do conteúdo efetivo que eles necessitam para um terceiro ano, vai ser dificultado”, explica.

De acordo com o levantamento feito na última sexta-feira, dia 22, faltam 29 professores nas dez escolas estaduais localizadas em Farroupilha. Os casos mais graves são o da Escola Julio Mangoni, com falta de seis professores e a Escola Olga Ramos Brentano, com sete professores.

 

Confira a matéria completa sobre a falta de professores em Farroupilha:

 

Foto: Ricardo Ló