Farroupilha paralisa indústria e decreta calamidade pública

A Prefeitura de Farroupilha anunciou, por meio do seu boletim diário sobre o coronavírus desta sexta-feira, 20, que decretou situação de calamidade pública. Isso permite que o município faça compras emergenciais sem a realização de licitações e ultrapasse as metas fiscais previstas para custear ações de combate ao problema. Outra decisão que era bastante aguardada pela população refere-se ao fechamento indústrias. A medida começou a valer no final da tarde de sexta-feira, com exceção para aquelas que desenvolvem atividades essenciais à população.

Para os mercados e fruteiras, ficou definido que eles devem limitar acesso de uma pessoa por família. As filas têm que respeitar a distância de 1,5 metro entre os consumidores. Já as agências bancárias precisam dar prioridade ao atendimento eletrônico e, também, evitar aglomerações.

Quanto ao número de casos, o boletim diário informou que 10 foram descartados e dois casos seguem em investigação. Até o momento, Farroupilha tem um caso confirmado, que trata-se de um homem de 37 anos. Para as pessoas que apresentarem sintomas da Covid-19, como tosse, febre ou dificuldade de respiral, a secretária da Saúde disponibilizou um novo número, que é o 0800-645.7950 e estará disponível na segunda-feira, 23. A central de teleatendimento terá capacidade de atender dez pessoas simultaneamente.

Já a UPA Coronavírus abrirá as portas na quarta-feira, 25, com 20 leitos para atender pacientes com sintomas da pandemia. A Prefeitura de Farroupilha também adquiriu sete mil macacões que servirão de uniformes para funcionários da Secretaria de Saúde e Pró-saúde.

 

Foto: Gleici Trois