Farroupilha recebe aval do Ministério da Saúde para utilização do prédio da UPA

O Decreto 9.380, de 22 de maio de 2018, permitiu que os municípios brasileiros pudessem utilizar os prédios destinados para a abertura de Unidades de Pronto Atendimento (UPA) e Unidades Básicas de Saúde (UBS), em outros serviços de saúde, sem ônus para os cofres públicos municipais e nem devolução do recurso empregado na obra. Porém, desde sua assinatura na XXI Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios, Farroupilha e outras cidades aguardavam a publicação dos procedimentos para que essa conversão fosse possível.

Finalmente, nesta terça-feira, 6, foi publicada no Diário Oficial da União, a Portaria 3.583/2018, que estabelece os passos que os municípios deverão seguir para a readequação. “Como já encaminhamos anteriormente a documentação necessária, solicitada nesta Portaria para o Ministério da Saúde, a cedência do prédio da nossa UPA ao município será agilizada”, destaca a Secretária Municipal de Saúde, Rosane da Rosa.

Para o Prefeito Claiton Gonçalves, a utilização do prédio UPA será um passo importante para a saúde no município. “O espaço é bem planejado, contém vários ambientes adequados para o atendimento, consultórios, ambulatórios e tudo dentro das normas. Outro ponto importante é a localização, situada no Bairro São Luiz, com fácil acesso”, destaca.

 

Prédio pode receber centro de diagnóstico de câncer

Aumentar a capacidade da serra gaúcha nos diagnósticos precoces de câncer e encaminhar os pacientes para tratamento mais adequado, ágil e humanizado, possibilitando mais sucesso na cura da doença sempre foi um dos objetivos da administração municipal. Em março de 2018, uma visita do Prefeito Claiton Gonçalves ao Hospital do Amor (H.A) conhecido como o Hospital de Câncer de Barretos, acendeu a possibilidade da instalação de um Centro de Prevenção e Diagnóstico do H.A no município.

Em maio, a proposta foi apresentada aos prefeitos que compõem a Associação dos Municípios da Encosta Superior do Nordeste (Amesne). Na ocasião, o médico Dr. Cleyton Dias Souza, do HA), apresentou a estrutura da instituição e a forma de atendimento humanizado que já está espalhada em diversos estados do Brasil. Mantido pela Fundação Pio XII, o hospital é a maior instituição oncológica filantrópica do Brasil, com unidades nas regiões Sudeste, Centro-Oeste, Nordeste e Norte.

Além da estrutura física, a intenção é disponibilizar para as comunidades da região uma unidade móvel equipada para o diagnóstico itinerante e a telemedicina, com diagnósticos por imagens que auxiliam no tratamento de câncer de pele. A medida, que não pretende competir ou inviabilizar os centros de referência da região para tratamento oncológico, foi bem aceita pelos prefeitos.

O Hospital do amor já realizou a primeira visita técnica à estrutura do prédio e estima que a operação teria um investimento inicial de R$ 10 milhões, para instalação e começo das atividades. Posteriormente, o financiamento e o custeio poderá ser, em parte, por meio de credenciamento junto ao SUS, e ter complementos em doações e de parte do Imposto de Renda de empresas.

 

Informações: Assessoria de Imprensa / Prefeitura de Farroupilha

Foto: Adroir Fotógrafo