Farroupilha tem quatro focos positivos de larvas do mosquito da dengue em 2019

O município de Farroupilha já contabilizou nestes três primeiros meses de 2019, quatro focos positivos de larvas do mosquito Aedes Aegypti. O inseto é o transmissor de diversas doenças, entre elas, da dengue. De acordo com a secretária municipal da Saúde, Rosane da Rosa, um dos focos foi encontrado em um cemitério, em um vaso de flor, e três em residências, sendo um sobre uma lona plástica, outro em um pote plástico, e o outro em um balde.

De acordo com a responsável pela pasta, os agentes de combate às endemias seguem realizando o trabalho de visitas em diversos pontos da cidade, especialmente nos locais que são considerados estratégicos, como em borracharias e cemitérios, por exemplo. Nestes casos, os profissionais criam, inclusive, armadilhas para eliminar os possíveis focos.

Rosane ainda ressalta que quanto antes os focos forem identificados e combatidos, maiores as chances de evitar a propagação do mosquito, e consequentemente, de doenças. Isso porque, conforme Rosane, se são identificados os mosquitos já adultos, há a chance de picarem os seres humanos e também de haver a reprodução do inseto. Assim, o combate imediato, ainda enquanto larvas, reduz a chance de focos na cidade.

Ainda segundo Rosane, é importante que as pessoas sigam fazendo a sua parte e eliminem qualquer água parada que possa servir de criadouro do mosquito. Segundo ela, também se torna fundamental o diálogo entre as pessoas, para que repassem as informações. Conforme Rosane, não há nenhum caso da doença em Farroupilha neste ano.

 

Como evitar a proliferação do mosquito:

– Tampar caixas d’água, tonéis e latões;

– Guardar garrafas vazias viradas para baixo;

– Guardar pneus sob abrigos;

– Não acumular água nos pratos de vasos de plantas e enchê-los com areia;

– Manter desentupidos ralos, canos, calhas, toldos e marquises;

– Manter lixeiras fechadas;

– Manter piscinas tratadas o ano inteiro.

 

Os principais sintomas da dengue são:

– Febre alta (maior que 38.5°C), de início abrupto e que dura entre 2 e 7 dias;

– Dores musculares intensas;

– Dor ao movimentar os olhos;

– Mal-estar;

– Falta de apetite;

– Dor de cabeça;

– Manchas vermelhas no corpo;

– Ao apresentar os sintomas, é importante procurar um serviço de saúde para diagnóstico e tratamento adequados, todos oferecidos de forma integral e gratuita por meio do Sistema Único de Saúde (SUS).