Governador presta contas e ouve reivindicações na Serra gaúcha

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, cumpriu agenda nesta quarta-feira em Caxias do Sul. Além de visitar indústrias da cidade, como a Randon e Marcopolo, ele esteve ao meio dia Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul (CIC) onde falou sobre o tema “Desafios e oportunidades para o RS”.

Na CIC ele ouviu do presidente da entidade, Ivanir Gasparin, algumas demandas da comunidade regional. O dirigente empresarial afirmou que a região está ilhada e carente de obras que melhorem a infraestrutura viária. Ele citou a necessidade da duplicação da ERS-122; mais investimentos no setor primário para acelerar a chegada de  novas tecnologias no interior que garantam a permanência dos jovens no meio rural. Sugeriu também que  seja adotado um programa de governo itinerante para aproximar o estado das comunidades.

Durante sua explanação o Governador Eduardo Leite, explicou que a palavra de ordem dessa gestão é “competitividade”. Ele destacou que a redução dos custos logísticos, tributários e de infraestrutura, assim como a diminuição da burocracia, são alguns dos pilares elegidos pelo governo para retomar a competitividade do Estado.

Como próximos desafios, Leite citou a reforma tributária e a revisão das isenções fiscais. O governador disse que ainda no primeiro semestre a proposta de reforma tributária deve ir para a assembléia. Ele informou que a  Secretaria da Fazenda está  ultimando o esboço dos pré-projetos que devem ser apresentados até o final de março e a partir daí serão feitas  as tratativas políticas com a assembléia e com a sociedade. A reforma, segundo o Governador  deve  englobar o ICMS, IPVA e todas as taxas e fontes de receitas do Estado que serão revisadas em sua estrutura. Quando fez esse o anuncio foi aplaudido pelos presentes. Leite afirmou que o foco é na redução da carga tributária.

Sobre o aeroporto Regional da Serra disse que existe entendimento entre a prefeitura e o Estado e se necessário for, haverá aportes financeiros do governo. As desapropriações da área onde será construído o aeroporto estão sob responsabilidade da prefeitura de Caxias do Sul.

Com relação a ERS-122 ele disse não se conforma que a principal ligação da Serra  com a grande Porto Alegre não seja toda duplicada. O governador informou que já pediu a EGR para que faça elaboração do projeto para duplicação do trecho que está em pista simples. O objetivo é que  quando da concessão das rodovias  que já se ofereça o projeto ao futuro concessionário para que ele possa o mais rápido possível fazer esse investimento.

O setor da uva e do vinho através da Comissão Interestadual da Uva  pediu ao Governador que seja  revista a parceria entre o Estado e o setor, através do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin). Para  o segmento a interrupção desta parceria deu-se por questões burocráticas, as quais  poderiam ter sido sanadas, com as devidas alterações necessárias, sem comprometer a continuidade das ações desenvolvidas. Também foi pedido que  de imediato, sejam recontratados os sete profissionais para atuarem junto ao Laboratório de Referência Enológica (Laren).

O evento contou também com a presença  do presidente da Assembléia Legislativa Ernani Pollo e dos  secretários de Governança e Gestão Estratégica, Claudio Gastal, do adjunto da Inovação, Ciência e Tecnologia e Fernando Mattos e do Desenvolvimento Econômico e Turismo, Ruy Irigaray.

Foto: Júlio Soares/Objetiva-divulgação