Lançada 120ª Romaria Votiva de Caravaggio com o lema “Se quiseres cultivar a paz, preserva a criação”

“Se quiseres cultivar a paz, preserva a criação” é o lema da 120ª Romaria Votiva de Nossa Senhora de Caravaggio que ocorre no mês de fevereiro no Santuário de Farroupilha. A programação tem largada ainda em 20 de janeiro e se encerra com a festa no dia 1º de fevereiro, além de missa especial no dia 2 de fevereiro.

A Romaria Votiva é tradicional ao marcar a bênção às máquinas agrícolas trazidas ao Santuário por agricultores da região. Isso acontece desde 1899, quando uma seca assolou a região e agricultores rumaram ao Santuário pedir a graça. Com a chuva alcançada, desde então, sempre no dia 2 de fevereiro, agricultores da região celebram o feito centenário. “’Se quiseres cultivar a paz, preserva a criação’: somos todos responsáveis pela proteção e cuidado da criação. Quando cuidamos da criação, ela mesma, por sua vez, cuida de nós e nos protege. Vamos desenvolver a missão de sermos guardiões e administradores responsáveis da criação”, explica o reitor do Santuário, padre Gilnei Fronza.

Centenas de agricultores são esperados no dia 1º de fevereiro para a bênção às máquinas. A comunidade de São João Batista, acolhendo as comunidades Nossa Senhora Assunta, São Paulo e São Valentim (a programação completa está abaixo), será a primeira a receber a visita de Nossa Senhora de Caravaggio durante as celebrações que antecedem a festa. Ao todo, cinco comunidades serão visitadas e outras sete ajudarão nas celebrações de missas que ocorrerão no Santuário. “A Romaria Votiva é tradicionalmente mais ligada aos agricultores. É uma festa que envolve a poesia, o aroma da vindima. O fruto da terra transforma-se em bebida. Como o sangue a circular pelos sulcos da terra. Envolve consciência ecológica, ecologia integral”, avalia padre Gilnei Fronza.

No dia 1 de fevereiro, a programação começa às 10h30min com missa solene, procissão e bênção das máquinas agrícolas. O almoço festivo ocorre às 12h30min. À noite, haverá procissão luminosa que parte às 20h da Avenida Dom José Baréa até o Santuário. Para o dia votivo, 2 de fevereiro, a comunidade terá uma missa especial celebrada às 11h.

 

120ª ROMARIA VOTIVA DE NOSSA SENHORA DE CARAVAGGIO

20 de janeiro – Comunidade São João Batista (acolhendo as comunidades Nossa Senhora Assunta, São Paulo e São Valentim)

21 de janeiro – Comunidade Sagrado Coração de Jesus (Linha 80)

22 de janeiro – Comunidade São Pedro (acolhendo a comunidade São José)

23 de janeiro – Comunidade Nossa Senhora da Saúde (Linha 47)

24 de janeiro – Paróquia de São Marcos (acolhendo a comunidade Santo Antônio)

Missas celebradas no Santuário, às 20h:

25 de janeiro – Paróquia Santa Cruz (Nova Milano)

26 de janeiro – Paróquia Jesus Ressuscitado

27 de janeiro – Paróquia São Pedro e São Paulo (Nova Roma do Sul)

28 de janeiro – Paróquia Nossa Senhora do Rosário de Pompéia (Pinto Bandeira)

29 de janeiro – Paróquia Santo Antônio (Forqueta)

30 de janeiro – Paróquia Jesus Bom Pastor

31 de janeiro – Paróquia Sagrado Coração de Jesus

Dias festivos

1º de fevereiro

10h30min – Missa Campal, seguida de procissão e bênção das máquinas agrícolas
12h30min – Almoço festivo
20h – Paróquia Nossa Senhora de Caravaggio – Procissão luminosa na Avenida Dom José Baréa até o Santuário

2 de fevereiro

11h – Missa da 120ª Romaria Votiva

 

A HISTÓRIA

Toda a primavera e o verão de 1898 foram implacáveis com nossos agricultores devido à seca e as dificuldades daqueles primeiros tempos; mas, a vontade de vencer é que tudo transformou.

No início de 1899, foram convidadas as pessoas para virem em romaria (a pé, cavalo, carroça) até a Igreja Nossa Senhora de Caravaggio. Era o dia 2 de fevereiro. Num gesto de fé, reconhecimento e confiança vieram de Nova Vicenza (Farroupilha), Caxias do Sul, Nova Roma do Sul, Nova Trento (Flores da Cunha), Bento Gonçalves e Nova Pompeia (Pinto Bandeira). Quem atendia a paróquia era o padre Francesco de Cicco.

Todos foram acolhidos e cada um recebeu o Sacramento da Reconciliação e participou da Santa Missa das 10h. Durante a missa, apareceu uma pequena nuvenzinha. Meia hora depois, a torrencial chuva caiu para alívio de toda comunidade: os que vieram pisando pó, voltaram pisando barro.

À tarde, o grupo rezou o terço, cantou as ladainhas e retornou para suas casas. A prece sofredora dos devotos chegou ao céu e foi atendida; a agricultura que parecia ter perdido tudo, renovou a esperança.

No ano de 1902 o padre Henrique Poggi e os paroquianos de Caravaggio fizeram o voto de recordar o sinal. E, desde então, se faz, anualmente, esta Romaria.

 

Informações: Assessoria de Comunicação do Santuário de Caravaggio
Fotos: Gleici Trois