Observatório Social de Farroupilha analisa cerca de 60 licitações em quatro meses

O Observatório Social de Farroupilha apresentou  na noite desta quinta-feira,27, o relatório de atividades desenvolvidas nos primeiros quatro meses de sua existência. Conforme o vice-presidente do Observatório, advogado Maurício Bianchi, participam da entidade 72 voluntários, sendo que 58 já participaram de cursos de capacitação.

Ao longo desse período foram analisadas cerca de 60 licitações do poder executivo municipal. Bianchi disse que  várias tiveram apontamentos e o município acatou fazer a revisão. Ele afirma que o objetivo do trabalho é fazer com que o recurso público  seja bem aplicado.

Maurício Bianchi citou alguns exemplos de licitações que foram feitos apontamentos. Em uma delas foi para aquisição de livros didáticos no valor de quase R$ 2 milhões. Foram encontradas inconsistências e a prefeitura acolheu a manifestação do Observatório e cancelou a licitação. Outro processo que visava a  aquisição de equipamentos de robótica também acabou cancelado depois  dos apontamento feitos.

Outro caso relatado foi de uma licitação para contratação de empresa para tapar buracos na cidade.  Bianchi conta que o processo foi impugnado pelo Observatório Social em função da empresa vencedora da licitação ter apenas 72 horas, depois  ser declarada vencedora, para disponibilizar um aplicativo onde a população pudesse informar  onde  existem buracos pela cidade.

O Observatório considerou pouco tempo para o desenvolvimento do aplicativo e pediu para a prefeitura rever esse ponto. A indicação não foi acatada pelo poder público municipal. A indicação do Observatório foi encaminhada para a Câmara de Vereadores para que cientifique o Tribunal de Contas do Estado e também o Ministério Público para que apurem se há alguma inconsistência.

 

Ouça a entrevista Maurício Bianchi:

 

 

Fotos: Mirna Messinger