Secretária da Saúde de Farroupilha diz que quinta morte alerta para que se mantenha cuidados no combate a Covid-19

A secretária Municipal da Saúde de Farroupilha Vanessa Zardo disse que a 5ª morte por coronavírus, registrada nesse final de semana no município é um alerta para a população. Ela lembra que todos estavam felizes com a notícia da migração da bandeira vermelha para a laranja no modelo de distanciamento controlado do governo do Estado, mas com a morte de uma mulher de 76 anos na noite de sábado, mostra que o vírus está circulando e é preciso tomar todos os cuidados. A idosa, apresentava sintomas desde o dia 26 de maio e estava internada na UTI do Hospital Universitário de Canoas, na região Metropolitana, desde 5 de junho.  Farroupilha encerrou o sábado com 374 casos confirmados de coronavírus, sendo 45 ativos, 324 recuperados e 5 óbitos.

Ela lembra que mesmo voltando para a bandeira laranja, é importante entender que não é momento de relaxar aos cuidados para evitar a propagação e contágio do Covid-10. Para isso, é preciso tomar todos os cuidados, principalmente neste período em que estamos entrando no inverno e as doenças respiratórios que já eram preocupantes, com o coronavírus a situação se agrava mais ainda.

Vanessa ressalta que foi muito importante o município ter criado a UPA Coronavírus, pois através do serviço de triagem nesse local, há uma grande ajuda ao Hospital Beneficente São Carlos. Por causa disso, a instituição está com uma taxa baixa de ocupação e com o Pronto-Socorro vazio. Desde o início de funcionamento dessa Central, foram atendidas cerca de 1.400 pessoas com sintomas respiratórios, o que segundo ela devido aos sintomas levas de grande parte dos suspeitos é possível fazer o atendimento na UPA e deixá-los em isolamento domiciliar. Farroupilha tem cinco leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) para o Coronavírus. Atualmente um está ocupado por um paciente de 42 anos e quatro estão vazios.

Farroupilha montou uma estratégia para atender a população em que as pessoas precisam primeiro procurar a UPA, que faz a triagem e o Hospital fica os casos mais graves, aqueles que precisam de maiores cuidados. O atendimento na UPA é referenciando, ou seja, as pessoas que precisam devem ligar para o 08006457950 e agendar sua consulta.

A secretaria continua visitando as empresas que tem grande número de funcionários para fazer a testagem, assim como os profissionais de saúde e segurança, porém, com uma diferença, agora nos frigoríficos quem faz os testes é o Ministério Público do Trabalho. Os exames são comunicados à Vigilância Epidemiológica. Vanessa adianta que diante desse trabalho é possível que os números de infectados em Farroupilha aumentem em função da busca ativa, mas que isso é necessário para fazer o controle e tirar de circulação pessoas que estão com o vírus e não sabem.

 

Foto: Mainara Torcheto