UCS e empresários se unem para equipar o HG na luta contra o coronavírus

A Universidade e Caxias do Sul (UCS) e empresários da cidade e região da Serra estiveram reunidos nesta terça-feira, 24, para encaminhar estratégias de prevenção e combate ao coronavírus. Foram criados grupos de trabalho para a produção de equipamentos, para o atendimento de pacientes, atuais ou futuros, atendidos ou internados no Hospital Geral (HG) de Caxias do Sul em função do novo coronavírus. O Hospital é referência para 49 municípios e atende 100% SUS.

Gestores da Fundação Universidade de Caxias do Sul, mantenedora do hospital, da UCS, do HG, do Parque de Ciência, Tecnologia e Inovação da Universidade (TecnoUCS) e empresários de Caxias e região definiram como prioridades: 1) a produção de equipamentos de proteção individual (EPIs) para os profissionais da saúde; 2) a produção de derivadores dos respiradores mecânicos (possibilitando que mais de um paciente utilize um mesmo tubo de oxigênio simultaneamente); 3) a produção de novos respiradores.

Os EPIs são a necessidade mais urgente. Consistem em máscaras, óculos, visores acrílicos, aventais e capacetes hospitalares. Para a produção serão buscadas doações de insumos, como tecidos e plásticos, e feita a manufatura.

Os derivadores para os respiradores mecânicos são peças nas quais se possam adaptar até quatro mangueiras de saída de ar dos tubos de oxigênio. Hoje usados individualmente, os equipamentos poderiam, assim, servir a mais pessoas ao mesmo tempo. Tanto os componentes como as mangueiras terão a fabricação intensificada.

Para se preparar para um possível crescimento da demanda, também está prevista a produção de respiradores. O equipamento completo fornece volume e pressão de ar para o oxigênio chegar ao paciente. Enquanto o HG vai repassar as especificações técnicas e os modelos, UCS e TecnoUCS poderão disponibilizar infraestrutura de laboratórios e suporte de professores para viabilizar o desenvolvimento e a produção.

“A ideia é nos basearmos nos respiradores existentes e produzir algo que atenda a demanda de pacientes graves o mais rápido possível”, diz o coordenador-executivo do TecnoUCS, Enor Tonolli Jr.

 

Foto: UCS-divulgação