Agricultores familiares serão beneficiados com aumento no subsidio do Programa Troca-Troca de sementes e anestia ao Safrinha

Os agricultores familiares do Programa Troca-Troca de Sementes Safrinha 2019-2020 no estado do Rio Grande do Sul, vão ser anistiados com subsídio de 28% para 100%. Já para o Programa Troca-Troca Safra, o subsídio passará de 28% para 60%. Com isso, o governo vai repassar R$ 8,26 milhões para que os agricultores possam pagar suas dívidas juntos a esses programas. O anunciou foi feito nesta terça-feira, 09 pelo secretário da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, Covatti Filho, durante reunião emergencial, por videoconferência, na Comissão de Agricultura, Pecuária e Cooperativismo da Assembleia Legislativa.

O Programa Troca-Troca de Sementes disponibiliza sementes de baixo custo para plantio, para aquisição de sementes de milho e sorgo. Já o Programa Troca-Troca Safrinha destinou R$ 400 mil para subsídio de 8.902 sacas de milho e sorgo. 2.569 agricultores, representados por 89 entidades, foram beneficiados. Com essa medida, a saca que custa R$ 160, com o subsídio de 28% ficaria em R$ 115,2 e agora passará a ser de R$ 64,00.

No ano passado, o programa Troca-Troca de Sementes Safra 2019/2020 beneficiou 49.950 produtores rurais de 391 municípios, com um total de 143.193 sacas de milho híbrido e transgênico e sorgo. Já o Programa Troca-Troca Safrinha destinou R$ 400 mil para subsídio de 8.902 sacas de milho e sorgo. 2.569 agricultores, representados por 89 entidades, foram beneficiados.

O processo envolveu 591 entidades, para a semeadura de mais de 143 mil hectares de plantio, ou 19,1% da área cultivada no Rio Grande do Sul. Os recursos foram de R$ 31,7 milhões. A medida atende uma solicitação dos agricultores familiares, tendo em vista a longa estiagem que atingiu o estado, acarretando perdas de até 40% na produção de alguns municípios, e a pandemia causada pelo vírus covid-19, que está provocando prejuízos econômicos e financeiros para o Rio Grande do Sul.

Segundo o secretário, em virtude da crise financeira do Estado e da pandemia, que causaram queda na arrecadação, houve uma união de esforços para conseguir estes oito milhões de reais. Para ele, é um esforço dos deputados, mas principalmente um gesto para os agricultores atingidos pela seca. “Neste momento desafiador, que agrega pandemia e estiagem, cabe ao poder público estar ao lado do agricultor e adotar medidas para assegurar a continuidade da produção familiar”, destaca Covatti Filho.

 

Foto: Secretaria da Agricultura/RS