Aqui é Meu Lar neste sábado visita a família Piloti na comunidade de Vila Rica no 3º Distrito

A Rádio Miriam Caravaggio veicula neste sábado, 05, a décima primeira entrevista do Projeto “Aqui é Meu Lar”. Este ano o foco é a história das famílias do interior, os costumes, a tradição e o envolvimento na construção das comunidades. O Projeto vai até o dia 19 de dezembro, todos os sábados pela manhã, às 10 horas.

A família entrevistada reside na comunidade de Vila Rica no 3º Distrito de Farroupilha. Júlio César Piloti, Márcia Ferrari Piloti, Marcos Piloti, Mateus Piloti, Lucas Piloti e Zélia Guarnieri Piloti, moram em uma propriedade de 2 hectares onde trabalham na produção de ovos. A Granja Piloti produz em média 3 mil dúzias de ovos por dia atingindo 90 mil dúzias por mês, em um lote de 40 mil aves. A produção é entregue em padarias, mercados, lancherias, confeitarias, restaurantes e outros estabelecimentos em Bento Gonçalves, Garibaldi e Farroupilha. A tecnologia utilizada é de última geração, vinda da Itália e São Paulo e os equipamentos são automáticos, fazem a coleta dos ovos, transportam a ração para a alimentação, coletam os dejetos e selecionam os ovos.

Assim a família Piloti divide o dia entre nos cuidados com a saúde das aves, alimentação, coleta, seleção dos ovos, embalagem e comercialização. O empreendimento ocupa um hectare para as instalações da estrutura. A rotina que começa muito cedo é seguida por todos, cada um com sua tarefa. A ração para os animais é produzida pela própria granja, que adquire a matéria prima como milho, farelo de soja e outros ingredientes, que ao serem processados se transformam em alimentos para as aves. O tratamento é feito por um sistema automatizado. Júlio César alerta que os riscos da produção são vários “agente conta sempre com o ovo antes da galinha produzir”, exemplifica.  Segundo ele, os cuidados são diversos, desde a sanidade dos animais até o próprio clima, que também influencia da produção. Uma galinha produz em média um ano e meio e sua vida útil é de dois anos,  após, as aves vão para abate e comercializadas em frigoríficos credenciados que comercializam fora do Brasil, onde há o consumo deste tipo de carne. As unidades são compradas em criadores da região e chegam para a granja com uma idade de 90 dias, elas precisam de mais 40 dias para se adaptarem ao ambiente a alimentação para iniciar a produção.

Júlio César Piloti nasceu no Quinto da Graciema no município de Bento Gonçalves há 45 anos. Aos oito anos de idade, por volta de 1983, foi morar em Vila Rica, quando seu pai que trabalhava no cultivo da uva decidiu vender a propriedade e comprar a granja para trabalhar com aves, na época com 4.500 unidades. Ele conta que as dificuldades da época com a produção de uva e a necessidade de usar agrotóxico em demasia fez com que a família optasse por  mudar de ramo. Júlio disse que sempre gostou desse trabalho, embora tenha saído de casa por cinco anos divididos em três no Seminário Apostólico Nossa Senhora de Caravagio, um no Centro Calábrio em Porto Alegre e mais um no Quartel, de onde retornou para a granja trabalhar junto com os pais, quando foi iniciado ao processo de modernização da granja.

Márcia Ferrari Piloti é natural de Linha Sertorina e conheceu Júlio em uma festa em Vila Rica no final dos anos 90 e no ano de 2000 casaram-se na Paróquia São Pedro Em Garibaldi. Para ela, ajudar na granja não é nenhuma tarefa alheia pais quando morava com os pais trabalhava na produção leiteira. Ela chegou a se empregar na cidade como bancária, mas decidiu retornar para a agricultura. Márcia comemora a utilização da tecnologia na Granja, por entender que o trabalho fica mais leve e garante qualidade na produção, seguindo as exigências sanitárias do Ministério da Agricultura. Para ela a presença dos filhos na atividade é motivo de alegria, embora não seja uma exigência dos pais, mas opção deles de permanecer trabalhando com a família.

Marcos Piloti tem 18 anos e concluiu o Ensino Médio em Garibaldi e ainda não decidiu se vai dar sequência aos estudos, já que sua intenção é permanecer junto com os pais ajudando na Granja por gostar da atividade. A rotina começa 6h da manhã e se estende até 18h com a seleção dos ovos, limpeza do aviário e organização da planilha da Granja. Matheus tem 17 anos e ainda estuda, no turno adverso ajuda o pai nas vendas e entrega dos ovos no comércio. Ele ainda não sabe se vai seguir com os estudos quando concluir o Ensino Médio, mas não tem dúvidas quando a permanecer na Granja ajudando os pais. Lucas Piloti, ainda criança, estuda na escola José Guisini, na mesma comunidade e sem puder ajudar muito por ainda ser criança, ele usa o tempo entre as brincadeiras da idade e uma galinha de estimação a qual deu o nome de Téfola. Zélia Guarnieri Piloti diz ser uma pessoa grata por ver o filho (Júlio) e os netos trabalhando em uma atividade que a família deu início. Ela testemunha que no passado foi muito difícil com a falta de tecnologia e mercado, realidade bem diferente a de hoje em que a modernidade trouxe mais facilidade e perspectivas.  Zélia celebra o envolvimento da sua nora, Márcia, no trabalho e gerenciamento da Granja, que no seu entender é muito importante a participação da mulher nos negócios da família.

Confira as fotos da propriedade da família Piloti, em Vila Rica:

Júlio César Piloti faz o convite para acompanhar o programa deste sábado:

Confira o vídeo que mostra parte da linha mecanizada da granja:

 

Ouça o programa completo:

 

Patrocinadores:

= LNF LATINO AMERICANA – Atua nas indústrias de álcool de combustível e potável, açúcar, cerveja, sucos e nutrição através da Kera. Telefone (54) 2521-3124

= Livraria e Papelaria PARANÁ – Livros, brinquedos, materiais de estritório e tudo em material escolar – Rua Júlio de Castilhos, 734, Farroupilha. Telefone 3261-3667.

= COOPERVIL – Completa linha de insumos e defensivos agrícolas para a agricultura com orientação técnica – Rua Egídio Zamboni, 277. Telefone 3268-9373.

Fotos e vídeo: Gleici Trois