CICS de Farroupilha abre as portas para produtor de orgânico mostrar estratégia de cultivo e comercialização

As empresas do comércio e indústria de Farroupilha que atuam no mercado dos orgânicos e aquelas que já desenvolvem algumas ações voltadas para a agroecologia, puderam acompanhar nesta sexta-feira, 18, pela manhã, o trabalho que é feito pelo Jardim Blauth, uma empresa familiar que produz e comercializa produtos orgânicos na região. A empresa possui um sítio no Desvio Blauth e entrega sua produção à domicílio e comercializa em uma loja em Bento Gonçalves. O encontro aconteceu na sede da Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Farroupilha (CICS).

A sócia proprietária do Jardim Blauth, Raquel de Marcos, considerou o encontro muito oportuno para divulgar o trabalho da empresa, assim como levar informações de como está a tendência do consumidor em relação a agroecologia e uma alimentação saudável. Ela lembra que há quatro anos a família percebeu que havia uma grande procura por alimentos orgânicos, como já se produzia, surgiu a ideia de levar esses alimentos até o consumidor através de rede de entrega.

Raquel tem certeza que existe um nicho de mercado bem extenso em relação ao consumo de orgânicos, porém a falta de informação ainda é uma dificuldade enfrentada pelo setor. Ela acredita que o preconceito contra os orgânicos está diminuindo, em função da união dos produtores e consumidores, garantido também pelo trabalho das certificadoras e entidades que atuam nessa área. Outro elemento que ela considera importante para a credibilidade, vem da experiência dos consumidores que a partir do momento que provam esses alimentos, passam a perceber que estão consumindo um produto diferenciado.

O vice-diretor do Agronegócio da CICS Clair Pedro Bertusso, salientou que a entidade vem desenvolvendo alguns eventos voltados para o setor do Agronegócio. Neste sentido, considera importante olhar para os orgânicos, onde a produção já é expressiva e existe uma demanda crescente em Farroupilha. Ele destaca que o encontro não foi só para quem atua na área de alimentação, mas também empresas que já tem o cuidado com a produção industrial, como vestuários, calçados e até mesmo iniciativas que se preocupam com a sustentabilidade.

 

Foto: José Theodoro