Comissão anuncia adiamento da 44ª Romaria da Terra programada para fevereiro em Ilópolis

A 44ª Edição da Romaria da Terra, que aconteceria no dia 16 de  fevereiro de 2021, na diocese de Santa Cruz, na paróquia São Paulo, município de Ilópolis, vai ser realizada somente no dia 1º de março de 2022. O comunicado partiu da Comissão da Pastoral da Terra do Rio Grande do Sul, devido a pandemia. Conforme o documento, o objetivo do comunicado é partilhar algumas reflexões e encaminhamentos que a Comissão e a Diocese de Santa Cruz do Sul estão fazendo conjuntamente, em vista da Romaria.

Diante da realidade atual de Pandemia da COVID-19, a Coordenação Ampliada da 44ª Romaria da Terra decidiu adiar a romaria presencial para o dia 1ª de março de 2022, sendo que no dia 16 de fevereiro de 2021 (Terça-Feira de Carnaval), a CPT/RS fará uma programação especial, Fórum Virtual, abordando o tema e o lema da Romaria, sua história de 44 anos, conjuntura agrária e agrícola, agricultura familiar, agroecologia, sementes crioulas, momento cultural, entre outros.

Essa decisão de adiar a Romaria foi tomada mediante os seguintes fatos, segundo a Comissão:

1º) Desde dezembro de 2019, até o momento, já fizemos um encontro presencial, em Santa Cruz do Sul e quatro encontros virtuais (online), resultando na escolha da Paróquia São Paulo Apóstolo, no município de Ilópolis, região italiana, o local da 44ª Romaria da Terra para o ano de 2022.

2º) A partir de março de 2020, fomos surpreendidos por uma nova realidade, ou seja, a Pandemia do Coronavírus.

3º) Várias foram as análises que fizemos dessa realidade e suas consequências para a realização de um evento do porte da Romaria da Terra, já que o afastamento das pessoas é o mais indicado para evitar a proliferação do vírus.

4º) Estamos seguindo as orientações dos responsáveis pela saúde pública e não vamos fazer atividades que comprometam o enfrentamento e erradicação do vírus.

5º) Estamos fazendo atividades à distância, como escolha do tema e o lema da romaria.

6º) Temos consciência de que a Romaria da Terra deve seguir seu caminho e sua tradição, por ser indispensável na agenda e no calendário das Pastorais Sociais, na caminhada da Igreja – do Povo de Deus e da Terra, dos movimentos sociais populares e da juventude do RS.

Foto: José Theodoro