Efaserra assina acordo para usar laboratório do Centro de Pesquisas em Fazenda Souza

A Escola Família Agrícola da Serra (Efaserra) vai utilizar os laboratórios do Centro de Pesquisas Celeste Gobatto, em Fazenda Souza. O acordo de cooperação foi assinado na segunda-feira, 20,  junto à Secretaria Estadual da Agricultura e Desenvolvimento Social (Seapde) a Associação da Escola, para o uso dessa área, onde os alunos poderão realizar as atividades práticas do conteúdo curricular. O ato prevê a demonstração de técnicas atualizadas das áreas de vitivinicultura, horticultura, agroindústria de alimentos e desenvolvimento rural e agronegócios. O diretor da escola, Israel Matté, explica que além da estrutura para pesquisa, os estudantes contarão com auxílio dos técnicos que já trabalham no centro.

As negociações para esse espaço vinham sendo articuladas há pelo menos dois anos e em março era para ocorrer a assinatura do acordo, porém, com a pandemia esse ato foi adiado. Matté lembra que vai ser um grande ganho para a instituição, que por ser uma escola nova, tem carência de um grande de laboratório. Com esse espaço ele garante que vai melhorar muito a formação profissional dos jovens que poderão aliar a pratica à pesquisa. O planejamento é utilizar o local pelo menos uma vez por semana, onde os estudantes poderão desenvolver suas pesquisas que hoje são realizadas na sede da escola, em São Pedro da Terceira Légua, mas em condições precárias.

A Efaserra foi fundada em Garibaldi, em 2013. Dois anos após se transferiu para um antigo Seminário em São Pedro da Terceira Légua, em Caxias do Sul, onde recebe alunos que cursam o Ensino Médio, com formação em Técnico Agropecuário. Fundada por famílias de agricultores a escola é mantida pelas próprias famílias através de uma associação, que também busca recursos com instituições que apoiam projetos da área da educação e do setor primário. Os estudantes se submetem ao currículo a partir de uma pedagogia de alternância, onde ficam uma semana internados na escola e na outra voltam para suas propriedades, para praticar o que aprendem nas aulas teóricas.

O Centro de Pesquisa Celeste Gobbato, pertencente à secretaria, atua em linhas de pesquisa relacionadas às áreas de horticultura, desenvolvimento rural e agronegócios, além de ter um programa de produção de vinhos. Em suas dependências também está instalado, desde 1996, o Centro de Treinamento de Agricultores da Fazenda Souza (Cefas), coordenado pela Emater/RS-Ascar, que oferece cursos de capacitação em agroindústria. O Secretário da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural Estadual, Covatti Filho, disse que toda a estrutura poderá ser utilizada para demonstrações técnicas e também pesquisas com caráter educativo para os estudantes.

O pesquisador Alexander Cenci, disse que devido à pandemia do novo coronavírus, o grupo de pesquisadores do centro de pesquisa e os professores da EFASerra preparam um plano de trabalho que seja condizente com as restrições impostas pela atual situação. o diretor da Efaserra ressaltou que está sendo elaborado o plano de trabalho para atividades on-line com os alunos, neste primeiro momento de retorno às aulas. Ele disse ainda que assim que possível, quando for permitido, poderão ser feita demonstrações presenciais com projetos de pesquisa para os estudantes.

Foto: Ascom Seapd