Entidades ligadas ao setor da vitivinicultura querem retomada do convênio entre estado e Ibravin

Uma audiência que aconteceu nesta quarta-feira, 24, com o governador Eduardo Leite, reuniu representantes do setor da viticultura para tratar da retomada do convênio entre estado e o Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin). Uma reunião técnica vai acontecer no dia 4 de março com secretários do governo com o objetivo de encontrar caminhos. O deputado Elton Weber que preside a Frente Parlamentar da Viticultura e Fruticultura da Assembleia Legislativa, avaliou o encontro como positivo já que o governador demonstrou compreensão sobre a situação.

Em um documento entregue a Leite,  as entidades ponderaram que em 20 anos de atividades o Instituto serviu de case de sucesso para outros segmentos pela forma como aglutinava os elos da cadeia produtiva composta por produtores de uvas, indústrias e cooperativas vinícolas. E acrescentaram que o instituto trabalhou no fortalecimento setorial, no alinhamento estratégico e ampliou as relações com governos e instituições estaduais, nacionais e até internacionais. “Nós temos como prioridade resolver essa questão, discutir como podemos retomar o trabalho realizado até então pelo Ibravin”, disse Elton.

O Instituto foi criado a partir da Lei N.º 10.989/1997, que instituiu o Fundo de Desenvolvimento da Vitivinicultura do Rio Grande do Sul (Fundovitis) com o objetivo de implementar ações complementares à Política Vitivinícola do Rio Grande do Sul. Desde a descontinuidade da parceria entre Ibravin e Secretaria de Agricultura, em 2019, foram interrompidos diversos projetos, programas e ações, como o Programa de Promoção das Exportações de Sucos e Vinhos sob a marca Wines of Brazil. Os participantes alertaram o governador que a suspensão traz prejuízos a todos já que o Ibravin tinha papel fundamental na organização e planejamento dos setores da uva e do vinho.

Comissão Interestadual da Uva, Cedenir Postal, relatou dificuldades enfrentadas pelos produtores com a desestruturação do Instituto. “Hoje não se tem nenhum amparo em caso de dificuldades. Não temos planejamento e perspectiva futura. Não temos mais uma entidade que agregue todos os atores. Há duas semanas, fomos procurados por produtores de uva com dificuldade na venda e tentamos, sem sucesso, uma reunião com a indústria. Isso era articulado pelo Ibravin”.

Presidente da Fecovinho, Alceu Dalle Molle chamou a atenção para o atual retrocesso. “Estamos na situação que estávamos há 20 anos, antes do Ibravin. Quando vamos exportar, temos que mandar as amostras para análise em São Paulo porque o nosso laboratório não funciona. Isso traz enormes prejuízos. Tínhamos um ordenamento, tínhamos previsibilidade, hoje estamos num voo cego, infelizmente. Vamos torcer para que se encontre um denominador comum”.

Já Márcio Ferrari, atual presidente do Ibravin, disse que o Instituto fez todas prestações de contas até 2018, sem nunca ter sido notificado pelo Estado sobre apontamentos. Representando a Farsul, Valmir Susin acrescentou que o Conselho sequer teve a oportunidade de responder aos questionamentos. O secretário da Agricultura, Covatti Filho, afirmou que, em tese, o Laren, hoje sob a batuta do Estado, está funcionando normalmente. “O Ibravin é uma referência internacional, precisamos achar um caminho para resolver esta situação e retomar o convênio o mais rapidamente possível”, sintetizou o presidente da Fetag, Carlos Joel da Silva. Fonte: Patrícia Meira.

Participantes Presenciais:

– Governador Eduardo Leite;
– Secretário da Fazenda, Marco Aurelio;
– Secretário Adjunto do Desenvolvimento, Carlos Guilherme Petrucci;
– Procurador-Geral, Eduardo Cunha da Costa;
– Deputado Estadual, Elton Weber;
– Secretário da Agricultura, Covatti Filho;
– Subsecretário da Receita Estadual, Eduardo Jaeger;
– Subsecretário do Tesouro, Bruno Jatene;
– Procurador-Geral adjunto para assuntos jurídicos, Victor Herzer da Silva;
– IBRAVIN – Márcio Ferrari;
– FETAG RS – Carlos Joel da Silva e Eugênio Zanetti;
– FARSUL –Valmir Susin;
– FECOVINHO – Alceu Dalle Molle;
– COMISSÃO INTERESTADUAL DA UVA – Cedenir Postal.

Foto: Itamar Aguiar