Governo do Rio Grande do Sul suspende cogestão e classifica todo o mapa em bandeira preta

O governador Eduardo Leite anunciou nesta quinta-feira, 25, ao fim da reunião com a Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs), a suspensão da cogestão a partir deste sábado, 27, até domingo, 07 de março, devido a alta nos casos e mortes decorrentes da Covid-19. Além disso, todo o Rio Grande do Sul entrará em bandeira preta, que indica risco altíssimo de contágio, no sistema de Distanciamento Controlado.

Ficou definido que a Educação Infantil e 1º e 2º anos do Ensino Fundamental poderão manter as aulas. Já os demais serviços devem seguir os protocolos estabelecidos na bandeira preta. Também está mantida a restrição da circulação e funcionamento de estabelecimentos das 20h às 05h para todas as regiões.

Conforme Leite, não basta apenas publicar regras mais rígidas, é necessário o engajamento da sociedade e das lideranças para o controle da disseminação do vírus. “Não é hora de confronto, não é hora de conflito, não é hora de puxar cada um para um lado. Nós precisamos puxar em uma mesma direção”, ressalta.

ACESSE AQUI A LIVE DO GOVERNO DO RS

FUNCIONAMENTO DOS HOSPITAIS

Diante de uma ocupação superior a 90% dos leitos de UTI estado, a Secretaria da Saúde acionou nesta quinta-feira, 25, o último nível da fase 4 do Plano de Contingência Hospitalar. Além da suspensão imediata das cirurgias eletivas, deverão ser instalados leitos emergenciais em salas de recuperação e em UTIs intermediárias. Com isso, serão também acionadas as equipes técnicas desses setores, especialmente as equipes médicas e de enfermagem.

OPERAÇÃO TE CUIDA RS

Para ajudar na fiscalização dos municípios e fazer cumprir efetivamente as restrições à circulação de pessoas, a Secretaria da Segurança Pública elaborou um protocolo chamado Operação Te Cuida RS para fortalecer a ação integrada com as prefeituras. Na tarde de quarta-feira, 24, foi discutido em videoconferência com cerca de 200 autoridades e representantes dos 23 municípios que compõem o grupo prioritário do RS Seguro para colher sugestões, que foram agregadas à versão final. O objetivo central é coibir aglomerações e intensificar a fiscalização da ordem de suspensão de atividades não essenciais.

Fotos: Felipe Dalla Valle/Palácio Piratini