Irmã Scalabriniana destaca escolha para vida consagrada na semana da vocação religiosa

A terceira semana de agosto, mês vocacional, celebra-se a Semana do Religioso (Vida Consagrada). Trata-se da opção para uma vida à Deus, através dos votos de pobreza, castidade e obediência, a qual se entrega à igreja e se dedica ao carisma de sua congregação. A irmã Cleci Braccin, da Congregação das Irmãos de São Carlos Borromeu Sacalabrinianas, explica que religiosos todos são, mas a diferença está no entregar-se a uma vida dentro da igreja e dedicar-se ao carisma, que é um dom de Deus especial, dado através do fundador de cada congregação, vivendo em fraternidade.

A religiosa destaca ainda que a opção para a vida consagrada requer deixar a família, profissões e outras escolhas para se dedicar inteiramente ao bem da humanidade, através da igreja. “É uma presença da igreja. Então agente incentiva a juventude para que não tenham medo, é importante a gente se entregar a Deus e se dedicar para o bem da humanidade, independente do carisma”, aconselha.

A Congregação das Irmãs Missionárias de São Carlos Borromeo Scalabrinianas celebra 126 anos de existência. Foi a 25 de outubro de 1895, na Itália, que Dom João Batista Scalabrini, bispo de Piacenza, fundou a Congregação, e teve como cofundadores o Venerável padre José Marchetti e a Bem-aventurada Assunta Marchetti. O carisma da Congregação é o serviço evangélico-missionário aos migrantes, preferencialmente aos mais pobres, em situação de maior vulnerabilidade, que necessitam de uma ação pastoral específica.

O campo de atuação é vasto: escolas, hospitais, centros sociais, asilos de anciãos, casas de formação, paróquias, dioceses, conferências episcopais, organismos internacionais, centros de promoção de escuta e de acolhida de migrantes e refugiados, centros de estudo e de documentação. No Brasil, a congregação está em quase todos os estados. Na região, tem presença em Caxias do Sul, Bento Gonçalves e Farroupilha, com escolas e atendimento aos imigrantes e migrantes, como Centro de Atendimento ao Migrante (CAM), um serviço de imigração e naturalização, em Caxias do Sul, com o telefone (54) 3027-3360.

O que levou Dom Scalabrini a fundar as Congregações Scalabrinianas, primeiro os padres e depois as irmãs, ele mesmo o diz: “Há vários anos, em Milão, fui expectador de uma cena que deixou em meu espírito, uma impressão de profunda tristeza. Passando pela estação de trem, vi uma vasta sala, os pórticos laterais e a praça adjacente invadidos por trezentos ou quatrocentos indivíduos, vestidos pobremente, divididos em diversos grupos. Em suas faces bronzeadas pelo sol, sulcadas por rugas precoces que a privação costuma imprimir, transparecia o tumulto dos afetos que agitavam seus corações naquele momento. Eram migrantes,  Parti comovido”, disse.

Ouça a entrevista com a Irmã Cleci Baccin:

 

Foto: Vatican News