Modificado o rito de imposição das cinzas em tempo de pandemia

A crise sanitária causada pelo coronavírus segue exigindo uma série de cuidados também no âmbito da igreja. Tendo em vista o início da Quaresma no dia 17 de fevereiro, a Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos publicou orientações sobre como deve ser realizado o rito de imposição das Cinzas.

Dessa forma, “feita a oração de bênção das cinzas e depois de as ter aspergido com água benta sem dizer nada, o sacerdote, voltado para os presentes, diz uma só vez para todos a fórmula que se encontra no Missal Romano: ‘Convertei-vos e acreditai no Evangelho’, ou ‘Lembra-te que és pó da terra e à terra voltarás’. Logo após, “o sacerdote lava as mãos, coloca a máscara protegendo o nariz e a boca, e impõe as cinzas a todos os presentes que se aproximam dele, ou, se for mais conveniente, aproxima-se ele do lugar daqueles que estão de pé. O sacerdote pega nas cinzas e deixa-as cair sobre a cabeça de cada um, sem dizer nada”.

Foto: Divulgação/Diocese de Caxias do Sul