Paciente com Covid-19 deixa hospital e se encontra com filho recém nascido pela primeira vez

Diagnosticado com Covid-19 ainda em 2020, Cassiano Câmara Guisolfi, 33 anos, teve alta no último dia 12. O fim de 2020 foi uma mistura de sensações para o Gerente Comercial e sua esposa Ana Caren, 33 anos. Um dia antes do natal, o casal teve confirmação por exame PCR do diagnóstico de Covid-19.

No dia 26 de dezembro, já positivados, eles procuraram a médica de Ana, já que ela estava grávida. A médica, sabendo da situação, solicitou exames e ao analisar disse que como ela estava perdendo muito líquido, o bebê teria que nascer em poucas horas. Então, na tarde daquele mesmo dia, nasceu o primeiro filho do casal, João Guilherme, motivo de alegria.

Em função da pandemia e até por estar positivo para Covid-19, Guisolfi viu o filho recém nascido apenas por trás de um vidro. Na mesma noite, começou a se sentir mal e precisou ser internado. “Vi meu filho nascer por trás do vidro e logo depois comecei a sentir falta de ar. Saí do hospital onde meu filho nasceu direto para o Hospital Virvi Ramos. Naquela mesma noite, 26 de dezembro, fui para UTI e precisei ser intubado. Fiquei assim por 18 dias até acordar. Estava com um pulmão totalmente comprometido e o outro parcialmente”.

Na segunda quinzena de janeiro, Guisolfi saiu da UTI para seguir o tratamento no quarto, mas em função de outras complicações, conseguiu ter alta apenas no dia 12 de fevereiro, quando enfim, pôde curtir e pegar no colo o filho pela primeira vez. “Foi uma emoção indescritível poder pegar ele pela primeira vez. O apoio da família e a atenção e carinho que recebi durante todo esse período da equipe médica foi fundamental para a minha recuperação. Minha situação era muito complicada. Agora vou curtir um pouco meu filho, minha família e seguir o tratamento com a fisioterapia, para eu conseguir recuperar a força que perdi com tantos dias intubado”.

Guisolfi faz alerta para aqueles que preferem não tomar maiores cuidados com a pandemia: “Eu e minha esposa nos cuidávamos muito e até agora não consigo imaginar onde possamos ter contraído o vírus. Nunca subestimei o coronavírus, mas não imaginava, que por ser relativamente novo, pudesse ficar tão mal. Por isso, cuide-se sempre, independente de idade. Não desafie o vírus, ele é imprevisível”.

Foto: Divulgação