Prefeitura apresenta à Câmara relatório das finanças dos primeiros quatro meses do ano

A administração municipal, por meio do prefeito Pedro Pedrozo, acompanhado pelo secretário de Finanças, Gilberto Galafassi e o setor de contabilidade, apresentaram na sessão desta segunda-feira, 01, o relatório fiscal do primeiro quadrimestre do ano. De acordo com o documento entregue aos parlamentares, Farroupilha sofreu 1% de redução nos resultados gerais em relação ao esperado. Segundo a Secretaria de Finanças, a porcentagem inferior da prevista ocorreu por frustrações na arrecadação referente a determinadas Despesas de Capital e Receitas de Serviços, mas estima-se a sua recuperação para os próximos meses.

Galafassi entende que os resultados até abril tiveram êxito e equilíbrio financeiro, salientando que a Secretaria segue observado um possível impacto econômico ocasionado pela pandemia. Ele contabiliza ainda a arrecadação de 64% do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), até o final de maio, que ajudou a chegar a esse equilíbrio. Ele acredita que as parcelas já previstas, devem ser quitadas dentro do prazo estipulado. Ele descarta a possibilidade de prorrogação no pagamento do imposto, após manifestações de alguns contribuintes. Ele disse que seria ser injustos com que já pagou.

Para o secretário, se fosse fazer a projeção a partir dos primeiros quatro meses, Farroupilha chegaria o final do ano em excelente situação financeira, porém, a pandemia acabou derrubando qualquer projeção otimista e deixando muitas incertezas quanto a arrecadação do município. Neste sentido, o prefeito Pedro Pedrozo entregou ontem um Projeto de Lei que visa reduzir os gastos e se adequando ao momento de crise econômica. Algumas medidas compreendem a extinção de três secretárias, reduzindo de doze para nove pastas. Houve a fusão das secretarias de Desenvolvimento Econômico com a Secretaria de Desenvolvimento Urbano, Infraestrutura e Trânsito e Esporte Lazer e Juventude com Turismo e Cultura. A Secretaria do Meio Ambiente foi extinta. Alguns contratos foram suspensos o que vai gerar uma economia de R$ 1.468.000,00.

Os novos Cargos de Comissão (CCs) e exonerações foram publicados no Diário Oficial do Município dessa segunda-feira, 01. Pedrozo garante que foram mais demissões do que contratações. Segundo ele, as mudanças não estão acontecendo por estarem certas ou erradas, mas por necessidade de adaptação, devido ao momento em que a pandemia exige mais eficiência, ou seja, gastar menos e fazer mais.

 

Foto: Gabriel Venzon