Serra gaúcha é mantida na bandeira vermelha pela segunda semana consecutiva

O Governo do Rio Grande do Sul não aceitou o recurso encaminhado pela Associação dos Municípios da Encosta Superior Nordeste (Amesne). Assim, a região da Serra gaúcha permanece na bandeira vermelha do Distanciamento Controlado a partir desta terça-feira, 21, totalizando duas semanas com a mesma classificação de “risco alto”. Mesmo assim, 26 cidades da região poderão manter-se na bandeira laranja, com menos restrições, por não terem registrado óbitos nos últimos 14 dias.

A permanência na classificação vermelha se deve à elevação nos números. O percentual de ocupação nos leitos de UTI estava em 72% até a última quinta-feira, 16, e subiu para 81% nesta segunda-feira, 20 de julho. Além disso, a disponibilidade de leitos de UTI, que estava em 0,9 leito livre para cada vaga ocupada por paciente positivo de Covid-19 e a projeção de 26 mortes a partir de 28 de julho mantiveram o alerta, pois são quesitos que validam o regramento mais rígido para a região.

Embora não tenha aceitado o recurso da macroregião de Caxias do Sul, o Governo aceitou o recurso de dez regiões do Estado, que agora retornam à bandeira laranja. Assim, apenas oito áreas seguem com regramento mais rígido, o que corresponde a 63% da população gaúcha.

FICAM EM REGRAMENTO LARANJA

Alto Feliz, Antônio Prado, Boa Vista do Sul, Bom Jesus, Campestre da Serra, Coronel Pilar, Esmeralda, Fagundes Varela, Ipê, Jaquirana, Linha Nova, Monte Alegre dos Campos, Monte Belo do Sul, Muitos Capões, Nova Bassano, Nova Pádua, Nova Petrópolis, Nova Roma do Sul, Paraí, Pinhal da Serra, Pinto Bandeira, Santa Tereza, São Vendelino, Vale Real, Vila Flores e Vista Alegre do Prata.

Foto: Divulgação Governo do Estado