Assinada ordem de início da primeira etapa do Pavilhão do Agricultor em Farroupilha

Foi assinada nesta quarta-feira, 11, a ordem de início das obras da primeira etapa do Pavilhão da Agricultura de Farroupilha, que será edificado em frente à Estação Férrea, no Largo Carlos Fetter. A construção terá 1.100 metros quadrados onde vai funcionar a Feira Livre do Produtor e a Feira da Agroecologia, além de outras atividades, caso a prefeitura venha realizar. A obra inicial terá um custo em torno de R$ de 998.000,00, sendo que R$ 238.000,00 será de uma Emenda Parlamentar, enviada pelo deputado federal Henrique Fontana (PT) e R$ 760.000,00, serão aplicados pela prefeitura. Essa primeira etapa deve ser construída em cinco meses.

O Pavilhão do Agricultor será construído em três etapas, sendo que a segunda já está em processo de licitação enquanto a administração busca recursos para a licitação e contratação da terceira fase, sendo que o total exigirá um investimento na ordem de R$ 3.000.000,00. Segundo o secretário municipal da Agricultura, Fernando Silvestrin, o município vai em busca de recursos para a conclusão das outras duas partes, mas se não conseguir, serão destinados recursos próprios da prefeitura para sua conclusão.  Com o novo espaço, os feirantes deixam o local onde atualmente estão instalados, em um pavilhão cedido pela Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL).

Segundo o secretário, o pavilhão será construído com estrutura metálica e terá um amplo espaço, com a instalação de uma cozinha e disponibilidade de um freezer para ser utilizado pelos feirantes. Atualmente são 28 associados na feira convencional e mais 08 da feira ecológica. No entanto, o secretário acredita que há espaço para novos associados, inclusive no dia 21 de maio haverá uma assembleia no final do expediente, junto à feira, para eleger a nova diretoria, quando também será proposto pela prefeitura uma revitalização do quadro de feirantes.  A ideia é colocar mais agricultores, principalmente, na quarta-feira para ampliar a variedade de produtos, ou seja, bancas que comercializem produtos oriundos da agricultura que não estão sendo comercializados atualmente.

Silvestrin ressalta que o espaço será totalmente moderno e com uma proposta de integração e convivência, onde a arquitetura será um dos detalhes do pavilhão. Entre um prédio e outro foi preservado uma Araucária Centenária que tem no local, ela ficará integrada a uma pequena praça. Ele explica que do ponto de vista ambiental, não haveria problemas legais de cortar o pinheiro, mas a prefeitura entendeu que será de fundamental importância para o contexto, a manutenção da espécie que trará um aspecto de preservação em um ambiente onde haverá a presença de agricultores feirantes e consumidores.

Foto: José Theodoro